Com a estreia da terceira temporada de Sex Education se aproximando, o elenco da série começou a conceder várias entrevistas como forma de divulgação. Emma Mackey conversou com o site The Sydney Morning Herald e falou sobre o novo estilo de Maeve, as gravações e o que mais gosta de fazer no tempo livre. Confira:

“Normalmente é loiro”, a atriz Emma Mackey me informa. Ela está sentada na minha frente e, embora seja apenas uma pequena caixa retangular na tela do meu computador, ela é naturalmente fotogênica mesmo no Zoom, seus longos cabelos caindo suavemente em um top macio de cor clara que parece uma malha, embora seja difícil saber desta distância.

De qualquer forma, seu cabelo está muito longe do corte logo abaixo do ombro que ela normalmente usa como Maeve Wiley na série Sex Education da Netflix. Estou particularmente intrigada com o cabelo de Emma porque seu penteado teve uma transformação em cada temporada da série. Na primeira, era melhor descrito como olha-para-mim-sou-rebelde, um ombrê punky com regeneração escura, meio loiro e pontas rosa chiclete.

A segunda temporada despediu-se do dip-dye para um tom totalmente castanho. O ponto de conversa desta vez foi uma franja pesada cortada diretamente no topo de suas sobrancelhas, um estilo pouco lisonjeiro referido como a “franja do Cookie Monster” no terceiro episódio da terceira temporada da série de sucesso.

Emma faz uma careta quando menciono a referência. “Eu meio que sei como o Cookie Monster se parece – é um look, é um look”, ela admite. “Esta é a primeira vez que estou com meu próprio cabelo em três anos, então estou muito animada.” (Mais tarde, ela revela que também não é fã da franja que Maeve está usando na terceira temporada.)

No entanto, algumas coisas não mudam de temporada para temporada, especialmente a questão que sustenta toda a série: Maeve e o adorável, mas extremamente estranho e nerd Otis (Asa Butterfield) finalmente ficarão juntos?

A renovação na terceira temporada (além da franja) vem com a adição de um trio de novos personagens, incluindo Jemima Kirke, que interpretou Jessa em Girls.

Kirke interpreta Hope Haddon, que substitui o reprimido Michael Groff (Alistair Petrie) como a diretora de Moordale High, uma escola galesa fictícia que parece muito mais americana do que britânica, com seus alunos todos vestidos com roupas casuais. Isso é algo que Hope coloca um fim à medida que ela se transforma de bem-educada em autoritária.

“Esta personagem acalma você com uma falsa sensação de segurança – ela é legal, ela é jovem, e você realmente não correlaciona isso com ser uma diretora”, diz Emma. “Jemima interpreta muito bem essa dualidade, eu acho. Ela consegue manipular você e meio que brincar com você o tempo todo.”

Emma diz que todos os novos membros do elenco – incluindo Dua Saleh, que se torna um novo interesse amoroso para o ex de Maeve, o macho alfa Jackson – foram ótimas adições.

“Deve ser muito intimidante entrar em um grupo que já está estabelecido e se dá tão bem naturalmente, mas todos foram ótimos”, ela confirma. “Dua é incrível e eles são tão talentosos que se encaixaram completamente e trabalharam sua mágica.”

O tempo, dentro e fora da tela, é crucial para a terceira temporada. As filmagens, que deveriam ter começado em março de 2020, foram adiadas pelo surto de COVID-19. Em vez disso, começou no final do verão do hemisfério norte e se estendeu de setembro até o inverno galês, quando a segunda onda na Grã-Bretanha ameaçou sobrecarregar os hospitais do país.

O elenco era testado quatro vezes por semana e as máscaras foram usadas no set, mas além do tempo extra que demorou – “Foi longo”, confirma Emma – a pandemia não alterou a produção.

“Foi uma espécie de loucura podermos trabalhar de novo, porque tudo estava em lockdown e ninguém podia ir trabalhar. Então eu me senti como, ‘Espere, temos permissão para trabalhar e sair o dia todo, e temos muita sorte e privilégio de fazer isso.’ Isso provavelmente injetou ainda mais alegria na série, porque nós estavamos muito animados em estar de volta.”

Sex Education é o primeiro trabalho de Emma. A comédia é estrelada por Gillian Anderson como Jean Milburn, terapeuta sexual e mãe de um adolescente inseguro. Filho único, Otis Milburn enfrenta todas as perguntas possíveis que um adolescente pode fazer sobre sexo de maneiras divertidas, confrontadoras e, muitas vezes, estranhas.

Um virgem que luta até para se masturbar, Otis começa a oferecer conselhos sexuais a colegas de classe por insistência de Maeve. Abandonada pela mãe viciada em drogas, Maeve precisa do dinheiro que Otis pode cobrar de outros alunos e ele vai na onda de Maeve porque está apaixonado por ela.

Maeve é uma feminista mundana que mora em um parque de caravanas, é brilhante em inglês, mas disfarça sua vulnerabilidade psicológica com um verniz fino de maldade. Ela também está emocionalmente indisponível, o que para Otis apenas aumenta seu desejo.

É preciso dizer que Emma, cuja beleza e magnetismo era frequentemente comparada a Margot Robbie (uma comparação que ela disse que detesta) é inegavelmente atraente na tela – mesmo com uma franja de Cookie Monster.

Não que Emma concorde. “Eu não me acho tão bonita, e minha pele sempre fica muito, muito terrível quando eu filmo Sex Ed. Na verdade, nuca me senti menos bonita do que quando estou em Sex Ed.”

“Minha confiança é nível zero quando estou na pele de uma jovem de 17 anos e estou usando saias curtas nas quais não me sinto confortável, estou usando meia arrastão que cava na minha pele e deixa marcas vermelhas no final de cada dia, e estou usando uma jaqueta de couro que é muito pequena para mim e muito estridente.”

“Só de falar sobre isso me dá palpitações. Eu odeio…” Ela faz uma pausa. “Não fico nada confortável.”

Somando-se ao desconforto, está a tendência de Maeve e outros membros do elenco serem considerados “experts em sexo” em sua vida diária. “Somos atores – decoramos falas e interpretamos personagens”, diz ela. “Eu não sou uma especialista, sou apenas uma atriz em uma série. Ok, eu aprendi coisas neste programa e você também pode, mas vamos conversar sobre isso. Não espere que eu tenha todas as respostas. Não sei o que é certo ou errado, também estou descobrindo.”

“Tornou-se algo maior do que todos nós”, conclui ela. Emma também se preocupa que a popularidade de Maeve possa sobrecarregar o resto de sua carreira. “Sim, mas tanto faz, isso depende de outras pessoas também. Eu não quero ser a eterna jovem de 17 anos.”

Embora seja inflexível sobre o que não quer levar adiante, Emma é visivelmente menos clara sobre suas ambições de longo prazo, embora saiba o que vem a seguir.

Nascida na França, filha de pai francês e mãe inglesa, seu primeiro papel no cinema será no papel de uma musa glamorosa em Eiffel, um filme em francês centrado em uma história de amor fictícia que deu início à criação da famosa torre parisiense.

Um teste maior virá no próximo ano, quando ela trocar suas pontas rebeldes tingidas de rosa em Sex Education para interpretar uma rebelde mais histórica, a escritora Emily Brontë, em Emily. É esse papel que Emma espera que a distancie de Maeve e de suas conversas francas sobre sexo em direção ao estrelato que obviamente está além.

Enquanto ela cita a lendária Emma Thompson como uma das atrizes com quem ela gostaria de trabalhar um dia, ela é menos aberta quando questionada se ela tem um papel que está desesperada para interpretar.

“Eu não tenho um papel dos sonhos, sinto muito”, diz ela. “Eu gostaria de ter – você sabe, ‘Eu quero interpretar Blanche DuBois’ – mas eu não quero. Eu realmente não tenho uma pessoa ou personagem específico em mente ainda. Teremos que ver o que acontece.”

Eventualmente, ela diz que quer se dirigir, embora enfatize que precisará de mais anos de experiência em atuação antes de estar pronta. Quando pergunto a Emma, que é notoriamente reservada sobre sua vida fora da tela, se há algo que ela gostaria que o mundo soubesse sobre ela, ela faz uma pausa. “Na verdade, não,” ela diz, seu tom transmitindo uma sensação de desconforto. No entanto, há um hobby que Emma tem prazer em discutir.

“Minha mãe adora jardinagem e eu costumava ficar tipo, ‘Oh, isso é uma coisa de mãe’. E agora eu tenho 25 anos e tenho um pequeno jardim e passei quatro horas podando um arbusto outro dia, pensando: ‘Isso é adorável.'”

A outra paixão de Emma além de atuar, ao que parece, é comida. Vegana, ela também é uma cozinheira ávida, com uma palheta que privilegia a fusão asiática, pratos do Oriente Médio e massas.

“Eu adoro aprender sobre comida japonesa e um tipo de comida pan-asiática porque é muito mais rica em variedade e muito mais interessante, em termos de sabor, eu acho, do que muitas coisas que comemos no Ocidente”, diz ela, com um novo entusiasmo assumindo sua voz.

“Eu também adoro comida do Oriente Médio, muito. Eu amo tanto que eu uso za’atar em tudo, se puder. Eu fico tipo, vamos lá!”

“Eu não sou muito boa em apresentações, no entanto. Isso é uma coisa que eu quero melhorar, eu meio que quero ir para uma escola de chef”, diz ela em um tom que soa meio sério.

Quando sua agente começa a encerrar nossa conversa, noto que passamos a maior parte de meia hora discutindo dois dos tópicos favoritos do mundo – comida e sexo! “Dias felizes; é uma boa terça-feira!” Emma concorda, sorrindo.

A terceira temporada de Sex Education estará disponível na Netflix em 17 de setembro. Eiffel estreará nos cinemas franceses em 13 de outubro.


Fonte: The Sydney Morning Herald
Tradução & Adaptação: Equipe Emma Mackey Brasil

Desenvolvido por Maria Nunes & Uni Design | Todos os direitos reservados - EMBR © 2021