Os últimos 12 meses foram grandes para a estrela britânica em ascensão Emma Mackey.

Nessa época, no ano passado, Emma era relativamente desconhecida, com apenas alguns créditos em seu nome, mas, no espaço de algumas semanas, ela se viu a estrela de um dos maiores shows da Netflix em 2019, Sex Education.

Imediatamente, Sex Education se tornou um grande sucesso entre críticos e telespectadores, com o programa sendo o oitavo mais assistido da Netflix em 2019, à frente de programas como Orange Is The New Black e Queer Eye.

Como a estudante do ensino médio Maeve Wiley, Emma conquistou uma legião de novos fãs e, desde então, conseguiu um papel na próxima interpretação de Kenneth Branagh, Death On The Nile, onde seus colegas de elenco incluirão Annette Bening, Armie Hammer, Jennifer Saunders e a própria Mulher Maravilha, Gal Gadot.

Com uma nova temporada de Sex Education agora na Netflix, conversamos com a atriz sobre o que a tornou um sucesso gigantesco e como sua vida mudou…

O sucesso da primeira temporada de Sex Education pegou você de surpresa?

Claro! Eu não tinha idéia do que esperar, e nos tornamos – todos nós – muito, muito próximos, incluindo o elenco e a equipe. Então era uma bolha adorável fazer parte. E, de repente, ele pertence ao mundo, e não é mais sua coisinha. E uma vez lá fora, as pessoas… querem ser amigas dos personagens e querem fazer parte dessa pequena bolha quente que está em algum lugar no País de Gales. As pessoas são realmente atraídas por isso. Mas sim, foi uma surpresa adorável.

Houve um momento para você em que de repente você percebeu o impacto que a série fez?

Houve alguns, não consigo pensar em um grande momento, mas acho que é apenas o feedback positivo que tivemos. Eu realmente não vejo mensagens [on-line] nem nada, mas é muito legal receber cartas de pessoas. Eu gosto disso, é uma escola bastante antiga. Gosto quando as pessoas escrevem notas para você, acho realmente emocionante.

E então sim, toda a coisa de ser reconhecido nas ruas é estranho. Mas, você sabe, é adorável. É uma coisa nova, um novo modo de vida para se adaptar.

Quais são os tipos de coisas que as pessoas dizem para você em suas cartas, porque Maeve é uma personagem com a qual muitas pessoas se identificam?

Hmm… é mais geral sobre o programa, e eles acham que Maeve é muito legal. E que eles querem ser amigos dela. E eu me sinto muito protetora com Maeve, então, qualquer coisa que alguém disser sobre Maeve com a qual eu concordo é como ‘precisamos protegê-la a todo custo. Ela precisa viver sua vida e ser feliz’. Todos nós apenas queremos que ela seja feliz.

E sobre interpretar Maeve e da série em geral, você tem mais orgulho?

Oh tantas coisas. Geralmente, tenho muito, muito orgulho da nossa luta – iniciamos um movimento, quase, sinto que ele realmente se tornou uma força motriz. Estou orgulhosa das mensagens que a série envia e de como é quente, comovente e acessível. É ótimo que esteja na Netflix, porque chega a alcançar milhões de pessoas, que não necessariamente teriam esse tipo de chance em outra plataforma. Então isso é muito legal.

De que maneira Sex Education mudou sua vida?

Existem algumas maneiras. Profissionalmente, o programa abriu muitas portas e tive muita sorte de conhecer e trabalhar com lendas vivas desde que o programa foi lançado. Então, eu me sinto muito, muito grata por isso. E então, acho que me deu um pouco mais de confiança em mim, o que é legal. Então, eu estou mantendo isso e valorizando isso e usando-o como força motriz para tudo o que vem a seguir.

Sex Education será um programa formativo para muitos jovens. Quais foram os programas formativos para você?

Sabe, eu não assistia a dramas de adolescentes, na verdade. E então eu assisti Skins. E eu me achava foda por isso. Eu acho que assisti filmes para adolescentes quando estava na universidade, e eu meio que fui educada lá em coisas como Meninas Malvadas, As Patricinhas de Beverly Hills, Clube dos Cinco.

É estranho, eu sempre falo sobre Tracey Beaker, né? Mas Tracey Beaker foi um show tão bom. E eu me lembro muito bem, e eu pensei que era muito legal porque era tudo sobre crianças adotivas e crescendo e colocando um monte de crianças com diferentes origens, tudo em um espaço juntas e vendo como elas crescem juntas. É meio parecido com o que estamos fazendo, mas… não há tanto sexo envolvido!

O que diferencia Sex Education dos dramas juvenis, como Skins?

Algumas coisas, mas acho que geralmente é muito refrescante para as pessoas assistirem a um programa como esse, porque acho muito verdadeiro, acho que é muito aconchegante e é bastante saudável, estranhamente. Embora exista muita bobagem, é muito emocionante, e acho que as pessoas querem torcer pelos personagens, e elas se encontram, certamente, em alguns dos personagens. Eu acho que reúne pessoas assim. E é útil! Tornou-se uma ferramenta para as pessoas, o que é realmente bom. Tornou-se um iniciador de conversas saudáveis.

Fonte: Huffington Post UK | Tradução & Adaptação: Equipe Emma Mackey Brasil

Post arquivado em: Entrevista, Sex Education
@emmackeybrasil NO TWITTER

Emma Mackey fotografada em sua casa por Greg Williams. 🌟 (2/2) pic.twitter.com/55YliLBwJN

Cerca 4 dias atrás from Emma Mackey Brasil's Twitter via Twitter for iPhone

@emmackeybrasil NO Instagram
Foto Favorita
Emma Mackey Brasil emmamackey.com.br